Meus visitantes

domingo, 28 de agosto de 2011

Prometeu


Faz frio em minh`alma
E só há vestígios de tua pele
Atado estou ao penhasco
E uma águia devora meu fígado todos os dias
Castigo dos deuses que o regenera
Para a grande ave alimentar

Quem sou eu?
Mais deus que Zeus
Ou mais humano que Prometeu?
Roubei o fogo da paixão
E o dei a uma mulher
Que me aqueceu numa noite e depois partiu

Oh! Humana,
Que fizeste de mim?
Hybres e nemesis...
Transgredi por tua causa
E o castigo veio pela mão de Zeus

Onde está Hércules?
O tormento parece não ter fim
Até quando esperar?
Trinta mil anos não poderei suportar.
Postar um comentário