Meus visitantes

terça-feira, 6 de setembro de 2011

O mensageiro


            - Tudo bem Alicia?
            - Tudo.
            - Você está linda! Seus cabelos estão brilhantes, seus olhos fumegantes...
            - Olhos fumegantes? Essa é boa...
            - Verdade. Você está radiante, um sorriso lindo, intenso...
            - Eu estou num local de trabalho Luís Carlos...
            - Eu sei, mas a verdade tem que ser dita em qualquer lugar, você não acha?
            - Nem sempre.
            - Não gostou do que eu disse?
            - Veio comprar algum remédio, cosmético, sei lá...?
            - Não.
            - Eu não posso ficar aqui batendo papo com você...
            - Por que está me tratando assim? Não gosta de elogios?
            - Você está sendo inconveniente...
            - Inconveniente? Eu vim aqui pra lhe falar algo, fazer um favor e sou inconveniente?
            - Favor? Falar o quê? Até agora você só me teceu elogios, não disse coisa com coisa...
            - É que estou tentando encontrar a maneira certa pra lhe dizer.
            - Dizer o que criatura? Já está todo mundo olhando. Daqui a pouco meu patrão me chama a atenção.
            - Desculpa. Eu não queria causar transtorno. Só queria lhe dar um pouco de alegria, descontrair você...
            - Já descontraiu. Agora pode ir e nem me precisa dizer mais nada.
            - Eu não posso voltar sem lhe falar o que está preso aqui na minha garganta...
            - Então fale!
            - Você está me deixando nervoso. Não sei por onde começar...
            - Está apaixonado por mim?
            - Também. Quer dizer, não é nada disso. Você está me deixando maluco.
            - Luís Carlos faça-me o favor, deixe-me em paz!
            - Eu não. Quem te deixou em paz foi sua avó...
            - ...???
            - Ah! Espera! Eu disse o contrário... Ela que descansa em paz...
            - Como assim? Não estou entendendo nada.
            - Quer saber? Sua avó morreu. Está bom. Falei. É isso...
            - E por que não disse antes? Quando isso aconteceu? Ai meu Deus...
            - Escuta aqui! Só me pediram pra falar que ela morreu. O resto é com você. Passar bem, aliás, bom velório pra você! Argh!
Postar um comentário