Meus visitantes

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Último minuto

Há um laço prendendo teu braço
Correntes atadas aos teus pés
Tua boca amordaçada está
e o veneno escorre pelo canto dos lábios
Fere e mata inocentes sem piedade
As gotas de tua maldade…


Sem limites
Sem amor
Sem pudor
Sem paz
Cruel e infeliz...


Sem chance de liberdade
O desprezo está em teus olhos
Ninguém escapa, nem mesmo teus semelhantes
Tua sentença já foi dada
e nem isto te comove
Teus dias estão contados
Mas a maldade não sai de teu coração


Não há nada mais a fazer por ti
Escolheste tua própria sina
Renegaste todos os abraços
E de mentiras construíste teu mundo
A paz não quiseste alcançar
O amor não quiseste receber
O pudor mandaste embora
e os limites não quiseste conhecer


Ainda assim espero que deseje a luz
Nem que seja no teu último minuto
Quando o ar lhe faltar.

Postar um comentário