Meus visitantes

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O poder

    

"Não é o poder que corrompe o homem; o homem é que corrompe o poder" (Ulysses Guimarães)

    Muitas pessoas confundem poder com autoritarismo, pensam que por ocuparem cargos de poder são detentoras também da verdade, o que é um grande engano e por pensarem e agirem desta forma acabam naufragando em seus governos ou aterrorizando seus subalternos, deixando uma marca negativa em seu reinado. 
    O poder não foi feito para qualquer mortal. É preciso sabedoria, flexibilidade, amor, companheirismo, e isso é privilégio de poucos. Muitos confundem o pequeno gesto de ouvir ou de atender a reivindicação de um subordinado como fraqueza, como esmorecimento. Há líderes que após darem sua palavra não voltam atrás mesmo que sua decisão afete negativamente os resultados que se pretende obter, por puro e simples orgulho ou vaidade. Apoiam-se na velha máxima de que “palavra de rei não volta atrás”. De reis tolos e insensatos não voltam mesmo. De reis que oprimem e massacram seu povo.
    Penso que o bom líder é aquele que mesmo tendo uma opinião contrária a da maioria, ouve e analisa para depois dar seu veredito final, não de acordo com suas idéias, doutrinas ou crenças, mas visando o que é melhor para o todo, para o grupo. As decisões mais sábias são aquelas que atendem a necessidade da maioria e traz benefícios para todos, ainda que nem todos percebam de imediato os benefícios recebidos.
    Algumas pessoas ficam cegas quando assumem o poder. Não vê valores nos subordinados e nem respeita suas opiniões. Pensam que só as suas idéias tem importância e que todos devem concordar com elas. Pensam que os subalternos não são seres pensantes, inteligentes e com isso tomam decisões sem pensar no coletivo, mas com o único intuito de satisfazer seu próprio ego ou para chamar a atenção de seus superiores.
    O bom líder preza pelo bom relacionamento, pois sabe que uma empresa, uma instituição para alcançar o crescimento desejado precisa ter bons companheiros de trabalho e não bons funcionários. O bom funcionário é aquele que cumpre o horário e executa suas tarefas com afinco, o bom companheiro faz tudo isso e ainda sobra tempo para ajudar o colega trabalho, pois visa o rendimento da equipe e não apenas o seu. 
    Para finalizar quero dizer que o poder não é ter domínio sobre os outros, mas domínio de si mesmo. E infelizmente muitos confundem isso e saem por aí massacrando, humilhando e destruindo muitas pessoas, empresas, instituições, e no fim se revelam verdadeiros fracassados. Alguns até cometem suicídio, como Hitler, embora haja controvérsias sobre sua morte.

Juarez do Brasil
imagem do site: http://www.rac.com.br/
Postar um comentário