Meus visitantes

quinta-feira, 13 de março de 2014

Pais criativos

Quando peguei a certidão do menino para fazer a matrícula, li e reli o nome do menino. O que era aquilo? De onde vinha tanta imaginação? Não me contive e indaguei à mãe dele:


- Rudículo... Desculpe-me, senhora, mas... é que fiquei curioso... de onde tirou esse nome para seu filho?

Ela num sorriso de satisfação, tirou um fiapo de cabelo que caía sobre a testa e me disse:

- Não é a primeira pessoa que pergunta isso, e eu fico muito feliz, realmente o nome ficou lindo, não é?

- Hummm....

- Sabe, eu e meu marido quisemos homenagear nossos pais. Veja bem, pegamos as primeiras sílabas do meu pai que se chama Ricardo, da minha mãe Dirce, do pai do meu marido Custódio e da mãe dele Lorena.

- Hummm... Mas seu pai é Ricardo....

- Ah, claro, mas eu não poderia colocar o nome no meu filho de RIDÍCULO. Concorda comigo? Então tive que alterar a sílaba de papai. Daí não ficou Ridículo, mas Rudículo. Eu acho o máximo.

- É... muito criativo...

Outra vez deparei com outro nome estranho ao fazer a matrícula. Olhei para a menina que estava ao lado da mãe, pensei: "meu Deus, por quê?"

TESTÍCULA. Desta vez não era junção de nomes de pais, avós ou coisa parecida, mas porque o pai, homem matuto, apaixonado por futebol, achou bonito quando numa entrevista um jogador disse que sempre protege os testículos quando entra em campo. Foi batata! Como nasceu uma menina, não podia ter outro nome, deveria ser Testícula. Estaria sempre protegida.

Tive vontade de pedir para ela trocar o nome, mas cada um tem o nome que merece. Tem? Não sei. Acho que exagerei. Alguns são inocentes. Ou todos?

E deparei com outros fantásticos nomes, tipo Maical Djéquisson, porque o pai era fã do astro americano, Estive Uonda, a mãe era fã do cantor. Teve também inspirado em produtos de limpeza: Bombrille, com dois "ll", sexo feminino. Mas Pneumário foi demais. Chacota na certa. Esse eu nem ousei perguntar. Vinha de pneu, claro. Ou não. Esses pais são tão criativos...

- Bom dia!

- Bom dia, moço! Eu quero matricular minha filha...

Peguei a certidão. Gelei. Não contive o riso. PISTOLETA! Isso mesmo. O marido era pintor, a mãe trocadora de ônibus. Misturou tudo. Deu nisso. E a Pistoleta era um sonho de menina, mas eu não a quero como nora. Se mudar de nome...

Vocês acham que para por aí? Pois digo que não. Recentemente deparei-me com CLAVÍCULA. A mãe me disse que é um nome simples, comum, mas foi registrado errado. Era CAVÍCULA, é que quando estava grávida, seu marido quebrou a "cavícula", e ela fez promessa, daria esse nome se ele melhorasse. "Deveria ter morrido", pensei. Mas, ontem encontrei nos arquivos outra criatividade: CLITORINA. Não tive explicações. Cada nome que esses pais dão aos filhos! É muita criatividade!

- AQUISSILO!! Telefone!

Outro dia conto mais, agora preciso atender ao telefone.

Postar um comentário